Incêndio em plataforma de petróleo no Mar do Timor é controlado, a catástrofe ambiental não… 03.11.2009

novembro 10, 2009 at 4:20 pm Deixe um comentário

Mapa de localizacao da plataforma de MontaraO vazamento de petróleo da plataforma de extração de petróleo em águas profundas de uma filial da companhia petrolífera estatal tailandesa PTTEP, no Mar de Timor – próximo à costa da Austrália que começou no dia 21 de agosto, tinha alcançado no dia 03/11/2009 as águas da Indonésia, colocando em perigo a biodiversidade marinha e a pesca.

O vazamento cobriu mais de 10 mil quilômetros quadrados e colocou em risco a área protegida do Mar de Savu, onde vivem várias espécies ameaçadas de tartarugas, golfinhos e baleias, disse Gilly Llewellyn, responsável pela área de Oceanos da seção australiana do Fundo Mundial para a Natureza (WWF, na sigla em inglês). Esta região é considerada por especialistas como a Amazônia submarina.

Oleo chega na costaA região é estratégica para a Indonésia na proteção do chamado Triângulo dos Corais, que tem uma extensão de seis milhões de quilômetros quadrados entre a Ásia e a Oceania. Além disso, o óleo reduziu em 80% a atividade de 700 pescadores da província de Nusa Tenggara Oriental.

Plataforma de Montara em chamasUm incêndio na plataforma Montara irrompeu dia 01/11/2009 quando se realizava a quinta tentativa para “plugar” o vazamento de óleo e gás. As chamas alcançaram centenas de metros de altura a duas milhas náuticas da torre de perfuração e da plataforma localizadas na jazida de West Triton no Mar do Timor, que separa a Austrália da Indonésia.

 

No vídeo que se segue relata a situação imediatamente após a eclosão do incêndio:

 Cenas não editadas do incêndio podem ser vistas vídeo seguinte elaborado pela AP:

 Plataforma sinistrada e a plataforma de apoioO sinistro foi controlado no dia 03/11/2009, o que possibilitou finalmente conter um derramamento de petróleo. Lama pesada foi bombeada para o poço danificado em um ponto situado a 2.610 metros abaixo do fundo do mar, que foi interceptado por um poço de alívio perfurado da plataforma de perfuração West Triton. Rebocada de Cingapura para o local, a West Triton não chegou à cena dos acontecimentos antes de 10/09/2009, quase três semanas após a ruptura que deu início ao vazamento. Levou cerca de quatro semanas para esta plataforma ser montada, perfurar até a profundidade de interceptação, e fazer a primeira tentativa mal sucedida para interceptar o poço danificado. Finalmente, depois de 74 dias, o vazamento foi interrompido. Restam as seguintes tarefas difíceis pela frente: os trabalhadores devem tentar voltar a acessar o poço agora pela da plataforma Montara danificada pelo fogo, de modo que eles possam injetar tampões (plugs) de cimento permanentes.

O vídeo seguinte reporta a situação imediatamente após o bloqueio do vazamento por lama e a extinção do incêndio da plataforma Montara (9 News):

 Milhares de litros de lama injetados no poço de West Atlas conseguiram, na quinta tentativa, conter o enorme vazamento que alimentava o incêndio, anunciou o porta-voz da PTTEP Australasia, José Martins, em entrevista realizada no dia 03/11/2009. “Estamos aliviados e agradecidos com o fim do vazamento e do incêndio, mas ainda temos muito trabalho a fazer e nossa prioridade agora é determinar como fechar definitivamente o poço”, disse Martins em comunicado.

Visao do dano ambiental na esteira de óleoDurante quase dez semanas, uma grande quantidade de petróleo vazou para o mar diariamente. As estimativas da quantidade de óleo derramado variam amplamente. As estimativas, sem um esclarecimento claro, feitas pela PTTEP indicam 400 mil barris por dia produz um total de 4.706.020 litros. As estimativas do governo australiano são de “até” 2.000 barris por dia, um total de derramar tanto quanto 23.530.100 litros. E uma estimativa de 3.000 barris por dia, com base nas taxas de fluxo conhecido de outros poços na área resulta em um derramamento de 35.295.200 de litros, quase tão grande quanto os 41.639.500 litros que vazaram do Exxon Valdez, e que após 20 anos depois de uma operação de limpeza massiva, ainda afetam as comunidades do Alasca e o meio ambiente em geral.

“Este desastre causou danos ao ecossistema marinho e deixou um legado com o qual vamos ter de lidar no futuro”, disse a senadora australiana, Rachel Siewert, do Partido Verde local.

As ações da PTTEP na Bolsa de Valores de Bangcoc desabaram nesta semana depois que ficou claro que a empresa não poderá, por enquanto, extrair os 35 mil barris de petróleo que esperava retirar de seus poços no Mar do Timor.

NOTA sobre a PTTEP:

Em fevereiro de 2009, a Coogee Resources Limited foi comprada por uma subsidiária da PTT Exploration and Production Public Company Limited (PTTEP) e foi rebatizada como PTTEP Australasia Limited (AA PTTEP). PTTEP é a empresa nacional de exploração e de produção de petróleo da Tailândia e é uma das maiores empresas de capital aberto do país, com mais de 40 projetos de todo o mundo. A subsidiária AA PTTEP é responsável pelo desenvolvimento de Montara (e os outros projetos) no Mar de Timor.

Entry filed under: Sem-categoria.

Um avião Fokker 100 com 13 anos de uso voando de Berlim à Stuttgart fez uma aterrissagem forçada – 14.09.2009 Refinaria da Caribbean Petroleum – GULF – de Porto Rico explode numa bola de fogo – 23.10.2009

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


novembro 2009
S T Q Q S S D
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Blog Stats

  • 93.849 hits

Páginas


%d blogueiros gostam disto: