Despreparo, falta de equipamento adequado e de pessoal treinado deixaram que um pequeno princípio de incêndio consumisse uma gigantesca ala do Aeroporto de Nairóbi no Quênia – 07/08/2013

Kenya-mapa-compostoNa quarta-feira, dia 07/08/2013, um pequeno princípio de incêndio no principal aeroporto do Quênia cresceu até se transformar em um inferno de chamas que destruiu parte do maior hub de aviação da África Oriental, prejudicando as viagens aéreas em todo o continente.
Os bombeiros lutaram desesperadamente contra a falta de equipamentos em uma área onde o governo do condado aparentemente não tem nenhum carro-bomba em seu corpo de bombeiros. As equipes de combate necessitaram para controlar as chamas e, em um ponto, tiveram que recorrer a uma fila de bombeiros que passavam baldes de água de mão em mão…
O incêndio, que iniciou cedo pela manhã, destruiu o hall de desembarque, forçando as autoridades a fechar todo o aeroporto e as companhias aéreas a cancelar dezenas de vôos. As chamas também carbonizaram bancos e agências de câmbio. Não foram relatados feridos graves.

Nairobi-1O fogo começou no dia do 15º aniversário dos ataques da Al-Qaeda às embaixadas dos EUA em Nairóbi e Dar el Salaam, na vizinha Tanzânia. Nenhuma ligação deste incêndio a um ato terrorista ficou evidente de início, mas o incêndio reviveu as preocupações de longa data sobre a segurança do Aeroporto Internacional Jomo Kenyatta, da capital Nairóbi.

Em uma declaração o Presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, disse que a causa do incêndio está sendo investigada e que “não há nenhuma razão para especular neste momento.” O presidente dos EUA, Barack Obama telefonou para Kenyatta para oferecer apoio dos EUA. O chefe da polícia antiterror do Quênia, Boniface Mwaniki, disse que estava à espera de mais informações antes de afastar completamente a hipótese de terrorismo.

Nairobi-3Na semana anterior ao sinistro, autoridades de Nairobi fecharam várias lojas duty-free do aeroporto, e alguns relatos da mídia queniana especularam que pessoas descontentes com os fechamentos forçados podem ter tido motivação para realizar um ataque incendiário. Nenhum governante fez tal acusação no dia do sinistro.

As linhas aéreas internacionais, incluindo a South African Airways, Etihad e Emirates, cancelaram seus vôos para Nairóbi. Qatar Air disse que seus vôos para Nairóbi estavam sendo redirecionados para o aeroporto de Kilimanjaro, na Tanzânia.

Nairobi-5Os terminais domésticos e de partida, que são separados da sala de desembarque por uma estrada, não foram danificados. Até o final do dia o aeroporto reabriu para vôos domésticos e de carga, mas permaneceu fechado para vôos internacionais. Enquanto isto, funcionários planejaram converter uma área de vôos domésticos em um terminal internacional temporário.

Nenhuma companhia aérea americana voa direto para Nairobi. A Delta Air Lines, com sede em Atlanta, tentou abrir essa rota em 2009, mas a Administração de Segurança dos Transportes dos EUA rejeitou o plano por causa de preocupações com a segurança. A cidade de Nairobi não tem um único carro-bomba de bombeiros operacional, conforme informou no mês passado o Daily Nation, um jornal de Nairobi, Um carro-bomba, segundo o jornal, foi leiloado em 2009, porque o município não tinha pago a conta do reparo US $ 100.

Nairobi-2Um repórter da Associated Press viu policiais uniformizados no aeroporto em fila com baldes na mão, aparentemente, para combater o incêndio. Muitas das unidades que lutaram contra o fogo da quarta-feira pertenciam a empresas de segurança privada.

Caminhões de bombeiros e ambulâncias a caminho para o aeroporto “estavam tentando costurar o seu caminho através de um sólido congestionamento de duas faixas de carros”, disse Barry Fisher, cujo vôo para a Etiópia foi cancelado. Nairóbi é a capital da maior economia da África Oriental, mas os serviços públicos, tais como bombeiros e polícia são prejudicados por orçamentos pequenos, gerentes financeiros corruptos e equipamentos desatualizados ou, como no caso, uma completa falta de equipamento.

Um alto oficial do governo no local do incêndio, disse que uma avaliação inicial mostrava que uma resposta deficiente ajudou um pequeno incêndio a crescer para um incêndio incontrolável. Alguns carros de bombeiros do aeroporto não estavam cheios com água e outros não tinham pessoal para conduzi-los, disse este funcionário, que insistiu no anonimato porque não estava autorizado a divulgar detalhes de uma investigação em curso. Abaixo um vídeo em inglês elaborado pelo Huffington Post Alive:

Michael Kamau, o secretário de gabinete para o transporte e infra-estrutura do Kenya, disse que o fogo começou às 05h00, horário local, na seção de imigração do saguão de desembarque. Vôos de entrada foram desviados para a cidade costeira de Mombasa, disse ele. Outros vôos foram desviados para Dar el Salaam na Tanzânia, e para as cidades quenianas de Eldoret e Kisumu e Entebbe, Uganda, de acordo com a Cruz Vermelha do Quênia.

Nairobi-4Fonte da Kenya Airways, empresa aérea do país, informou que cinco vôos seus foram desviados para Mombasa e disse que todos os seus passageiros em trânsito foram levados para hotéis. A companhia aérea informou que um passageiro e um empregado acabaram intoxicados por inalação de fumaça.

Medr Gudru, um alemão de 66 anos de idade, tinha a esperança de voar para casa na quarta-feira, mas ele acabou sendo bloqueado pelo incêndio. “Isso é demais. Foi muito bom aqui, mas isto é uma bagunça”, disse ele.

Jane Waikenda, diretor do Departamento de Serviços de Imigração, twittou numa tentativa de acalmar os nervos desgastados. Ela disse que as autoridades estão “fazendo o que deve ser feito” para restaurar os serviços de imigração. Mas, acrescentou momentos depois, “você nunca pode agradar a todos.” Abaixo uma coleção de fotos deste sinistro selecionadas pelo Site Risco:

Matérias coligido pelo Corpo Editorial do Site Risco, a partir de pesquisa em jornais e na Internet.

Anúncios

agosto 13, 2013 at 6:39 pm Deixe um comentário

Conclusão da atualização dos posts que continham vídeos no Google Videos – 06.06.2013

Com satisfação comunicamos que está concluida a ação de substituição de todos os vídeos originalmente armazenados no Google Video, um serviço que foi descontinuado pelo Google quando adquiriru o YouTube.
Depois de recuperar todos os vídeos, que agora estão armazenados no You Tube, fizemos os respectivos uploads de maneira a deixar todas as matérias completas.

Permanecemos à disposição e agradecemos a todos que esperaram por esta atualização.
Em caso de dúvidas sintam-se à vontade para nos consultar (risco@risco.com.br)

Saudações
Conselho Editorial do Site Segurança em RISCO

junho 6, 2013 at 8:19 pm Deixe um comentário

E a história lamentavelmente se repete… Incêndios em discotecas e locais públicos

O Brasil e o mundo estão chocados com o lamentável sinistro ocorrido no domingo dia 27 de janeiro de 2013 na Discoteca Kiss da cidade de Santa Maria no Rio Grande do Sul. Mas este tipo de acontecimento não é uma novidade e vem deixando um rastro de milhares de mortes pelo mundo.

Só nos EUA a lista dos 10 sinistros em locais públicos mais mortais mostra a seguinte estatística, registrada pela NFPA, e o alcance no tempo é de 1876 a 2003:

  01-Iroquois-Theater1) Teatro Iroquois, em Chicago, IL, 30 de dezembro, 1903. Mortes: 602

02-Cocoanut Grove - 28.11.1942a2) Discoteca Cocoanut Grove, em Boston, MA, 28 de novembro, 1942  Mortes: 492

 03-Conway Theatre – 05.12.18763) Teatro Conway, no bairro de Brooklyn, NY, 5 de dezembro, 1876 Mortes: 285

04-Rhythm-Club-23.04.19404) Salão de Baile Rhythm Club, em Natchez, MS, 23 de abril, 1940 Mortes: 207

05-Ópera Rhoads, em Boyertown 13.01.1908 5) Teatro da ópera Rhoads, em Boyertown, PA, 13 de janeiro, 1908 Mortes: 170

Na foto o prédio construído no local do prédio sinistrado.

06-Hartford-Circus-06.07.1944a6) Lona do circo Ringling Brothers and Barnum & Bailey, em Hartford, CT, 6 de julho,  1944 Mortes: 168

07-Beverly-Hills-Club- 28.05.19777) Beverly Hills Supper Club, em Southgate, KY, 28 de maio, 1977 Mortes: 165

08-The-Station-20.02.2003-018) Discoteca “The Station”, W. Warwick, RI, 20 de fevereiro, 2003 Mortes: 100

Falaremos deste sinistro adiante.

09-Happy Land Social Club-25.3.1990 9) Happy Land Social Club, Bronx, NY, 25 de março, 1990 Mortes: 87

10-Richmond_Theatre-26.12.181110) Teatro Richmond, Richmond, VA, 26 de dezembro, 1811 Mortes: 72

Dadas as semelhanças com o sinistro da Boate Kiss de Santa Maria, Rio Grande do Sul, ocorrido na madrugada de 27 de janeiro de 2013 passamos a descrever o caso da Boate “The Station” ocorrido no dia 21.02.2003 também de madrugada, na cidade americana de West Warwick, no estado de Rhode Island, nos EUA.

A boate “The Station” antes do sinistro com sua pintura temática remetendo à música.

A boate “The Station” antes do sinistro com sua pintura temática remetendo à música.

O edifício da Boate Station foi construído aproximadamente em 1946. A estrutura foi utilizada como um restaurante, taverna, e discoteca sob diversos proprietários. Várias reformas e reparos foram realizados no edifício no passar dos anos desde a sua construção. Um incêndio danificou o prédio em março de 1972. O edifício permaneceu fechado até novembro de 1974, quando os danos de fogo foram reparados. Neste ponto, o edifício foi convertido de um clube em um restaurante, e reaberto. Em fevereiro de 1985, ocorreu mais uma mudança de propriedade e a instalação foi convertida em um “pub”. De acordo com os registros, em 1991, o empreendimento foi convertido para uso boate.

O prédio era uma estrutura de madeira com uma fachada tipo mansarda em seu lado norte. As paredes eram construídas em madeira, com telhas também de madeira. A estrutura de madeira do telhado era predominantemente plana, com uma cobertura asfáltica. Tinha um porão parcial localizado embaixo da porção oriental do edifício.

Uma visão do projeto prédio desta boate pode ser vista nos desenhos abaixo:

c) The-station-1

d) The-station-2a

O prédio da boate “The Staion” tinha o seguinte arranjo de abandono, composto por  quatro saídas, a saber:

• Porta frontal (principal)

• Porta de saída lateral do bar

• Porta de saída da plataforma elevada (palco)

• Porta de saída Cozinha

Infelizmente, como será visto adiante os freqüentadores da boate não conheciam todas as saídas que existiam.

A estrutura de alarmes de incêndio era a seguinte:

O edifício estava equipado com um sistema de alarme de incêndio composto por caixas de alarme de incêndio manuais (tipo quebre o vidro e aperte o botão de alarme), detectores de calor e unidades de alarme sonoro / alarme visual com luz estroboscópica de alarme visual. Os detectores de calor foram localizados por toda a instalação, incluindo o acima e abaixo da plataforma elevada (palco) na área de clube.

O sistema de alarme de incêndio não estava conectado a um serviço de estação central de alarme e notificação ou ao escritório local do Corpo de Bombeiros.

A proteção contra Incêndios disponível era:

Este prédio não estava protegido com sprinklers automáticos.

Foram distribuídos extintores por todo o prédio, embora a sua distribuição exata e seu tipo não pudessem ser determinados pela perícia.

A cozinha estava equipada com um sistema de extinção com agente químico para a zona de cocção.

Descrição do sinistro:

Na noite do incêndio, a boate estava apresentando um programa com várias bandas, incluindo uma atração principal chamada “Great White”. Esta banda subiu ao palco cerca de 23h07. Vários segundos depois do início da apresentação da banda principal, dispositivos pirotécnicos (tipo sinalizadores) foram ativados no centro da plataforma elevada (palco), em frente do recesso do baterista.

Letreiro que mostrava as atrações destacando a atração principal “The Great White”.

Letreiro que mostrava as atrações destacando a atração principal “The Great White”.

Por uma grande coincidência o cinegrafista Brian Butler da estação de televisão WPRI-TV de Providence estava filmando atividades daquela noite naquela boate para uma matéria sobre segurança em boates nos dias seguintes ao incidente fatal na boate E2 de Chicago, que custou a vida de 21 pessoas no dia 17 de Fevereiro de 2003. Com isto foram gravadas cenas do sinistro e este vídeo forneceu um relato em primeira mão das atividades dentro da boate nos momentos tanto que antecederam como que culminaram com o fogo, assim como os primeiros momentos terríveis depois do incêndio ter iniciado.

No vídeo, após a apresentação do ambiente da boate antes do sinistro o espectador pode ver que as luzes se apagam quando a banda sobe ao palco e começa a primeira música – ai começa a contagem de tempo. À medida que os dispositivos pirotécnicos são ativados, as faíscas que emanam dos sinalizadores inflamam o material que revestia as paredes em torno da plataforma elevada, perto da abertura para o recesso do baterista. No início as chamas começam a se expandir lentamente nas duas extremidades da abertura do recesso do baterista, depois foram se espalhando para cima.

Amostras da espuma de isolamento acústico que foi um fator contribuinte para o fogo na boate “The Station”. Por cima: espuma tipo caixa de ovos de poliuretano (PU). Por baixo: espuma de polietileno (PE).

Amostras da espuma de isolamento acústico que foi um fator contribuinte para o fogo na boate “The Station”. Por cima: espuma tipo caixa de ovos de poliuretano (PU). Por baixo: espuma de polietileno (PE).

Durante os primeiros segundos a multidão parece pensar que o fogo é parte dos efeitos pirotécnicos especiais e a banda parece não ter consciência do fogo. Dentro de 10 a 20 segundos, algumas pessoas começam a apontar para as chamas se espalhando nas paredes, quando os membros da banda se conscientizam do fogo. A banda pára de tocar e deixa a plataforma em menos de 30 segundos.

Flagrante do momento no qual os músicos se apercebem do fogo.

Flagrante do momento no qual os músicos se apercebem do fogo.

A estas alturas, a multidão começa a reagir e começa a tentativa para a saída do edifício. O ponto de vista do cinegrafista é a partir da parte traseira da pista de dança e o vídeo mostra claramente os clientes que começam a sair do edifício usando a entrada principal, que está à direita do cinegrafista. O alarme de incêndio soa em cerca de 40 segundos a partir do momento da ignição.

Os alarmes sonoros e a sinalização estroboscópica puderam ser claramente vistos e ouvidos no vídeo. O cinegrafista se junta aos clientes que estão saindo do local e deixa o edifício em aproximadamente 70 segundos a partir do momento da ignição. À medida que o cinegrafista sai, o vídeo mostra o fogo crescendo rapidamente nas paredes perto da plataforma elevada e uma camada de fumaça se tornando cada vez mais espessa em todo o edifício.

Quando o cinegrafista entra no corredor perto da entrada principal, a fumaça pode ser vista no vídeo, crescendo cada vez mais pesada, a partir de uma névoa leve para um cinza mais escuro. Uma vez que o cinegrafista conseguiu sair do prédio, o vídeo mostra que a fumaça cresce preta e espessa, saíndo pelas as portas da frente e janelas, com os clientes usando ambas para escapar. Em poucos segundos, os clientes tentando escapar começam a se amontoar nas portas dianteiras, à medida que aqueles que vêm trás deles também lutam para escapar.

Diagrama em perspectiva mostrando o interior da “The Station”.

Diagrama em perspectiva mostrando o interior da “The Station”.

Aqueles que escaparam tentavam libertar os que ficaram presos no amontoado de pessoas prensadas na saída, enquanto uma fumaça pesada se alastrava sobre suas cabeças. O vídeo mostra então como o cinegrafista caminha para o oeste a partir da frente do edifício. Na medida em que ele vira a câmera para a abertura da porta de plataforma elevada, o espectador vê uma densa fumaça negra a uma altura de 30 centímetros do chão, e é possível ver brilhantes chamas alaranjadas dentro do edifício.

Passaram cerca de 4 minutos e 30 segundos a partir do início da ignição. Neste ponto, as sirenes dos carros de bombeiros podem ser ouvidas. Enquanto o cinegrafista caminha de volta para a frente do prédio, a situação piorou. A fumaça negra transformou-se em chamas saindo da entrada frontal e das janelas abertas ao longo da fachada do edifício. Quando o primeiro carro de bombeiros chega, uma mangueira é esticada para a entrada da frente e água começa a ser jogada no corredor da frente, em um esforço para salvar aqueles que estavam presos no corredor de entrada.

Desenho esquemático que detalha o trabalho dos bombeiros, como a distribuição dos hidrantes e os caminhos das mangueiras e o trabalho das equipes de socorro.

Desenho esquemático que detalha o trabalho dos bombeiros, como a distribuição dos hidrantes e os caminhos das mangueiras e o trabalho das equipes de socorro.

Passaram-se menos de 6 minutos a partir do momento da ignição do fogo até o ponto no qual o prédio, construído em madeira, fosse envolto em chamas​​. Os primeiros pedidos de socorro pelo telefone 911 (emergência nos EUA) foram feitos a partir de telefones celulares de dentro da boate. O oficial de polícia, que estava fazendo a segurança do local também notificou a sua central sobre o fogo. O Corpo de Bombeiros de West Warwick, após a notificação da gravidade da situação, pediu ajuda de comunidades vizinhas, tanto para equipamento de combate a incêndio como para ambulâncias.

A estas alturas do sinistro o prédio inteiro estava em chamas. A estrutura era de madeira e o prédio antigo o que explica como tudo foi consumido pelo fogo.

A estas alturas do sinistro o prédio inteiro estava em chamas. A estrutura era de madeira e o prédio antigo o que explica como tudo foi consumido pelo fogo.

O sinistro foi declarado como sendo um MCI – Multiple Casualty Incident (Incidente com múltiplas vítimas) e o plano de contingência de MCI local foi posto em prática. Uma área de triagem foi criada em um restaurante do outro lado da rua. As unidades de incêndio e salvamento foram convergindo para o local do sinistro, e as vítimas foram sendo transportadas para hospitais e centros de traumatismo próximos, enchendo muitos deles rapidamente até seu limite de capacidade.

A equipe de bombeiros entra no que restou do prédio sinistrado pela primeira vez.

A equipe de bombeiros entra no que restou do prédio sinistrado pela primeira vez.

Mais de 200 vítimas foram tratadas no local e transportadas para várias unidades médicas da área em menos de 2 horas contadas do início do incêndio. O número inicial de mortos, contabilizados um dia após o incêndio, foi de 96. E que aumentou para 100 durante o curso dos 70 dias seguintes ao fogo, como a morte dos quatro mais gravemente feridos, ocorrida em hospitais de Rhode Island e Massachusetts.

Com o transporte do último dos feridos, começou a tarefa de resgate das vítimas que estavam dentro do edifício, tarefa que contou com a participação das autoridades em cargo.  A fase de rescaldo foi concluída no final do dia em 21 de fevereiro. (A última vítima foi identificada no dia 25 de fevereiro.) A cena do sinistro foi preservada para o início do processo de investigação.

Para a retirada dos corpos foi improvisada uma cobertura para manter a privacidade da operação de resgate.

Para a retirada dos corpos foi improvisada uma cobertura para manter a privacidade da operação de resgate.

Ao comparar o incidente do “The Station” com outros incêndios históricos em locais públicos, um dos fatores comuns entre eles é a presença de acabamento interior, conteúdo e mobiliário combustíveis. A presença de conteúdos interiores combustíveis pode ser ligada à propagação do fogo no “Rhythm Club” (musgo espanhol seco pendia das vigas do teto), no “Cocoanut Grove” (mobiliário e decorações), e no “Beverly Hills Supper Club” (parede e revestimentos do piso). No incêndio da “The Station”, materiais de isolamento de espuma expandida cobriam as paredes adjacentes à plataforma elevada e no recesso para o baterista.

Na Norma NFPA 101, Código de Segurança de Vida, é abordado o acabamento interior em todos os tipos de ambientes, incluindo locais públicos, e isto há muito tempo, tanto que este assunto comparece em muitas edições deste documento.

No caso da “The Station” a presença de acabamento interior combustível na zona de origem do incêndio prejudicou as condições de evasão dos ocupantes do edifício.

O fogo criou uma situação no interior do edifício que impediu a muitos de alcançar uma saída antes de serem sobrepujados por fumaça e calor.

Ao visualizar o vídeo feito naquela noite, pode-se ver que quando o fogo começou a maioria dos ocupantes se dirigiram para a saída principal (porta da frente). Esta saída e seu corredor logo se tornaram congestionados na medida em que os ocupantes correram para escapar, agravando as condições no interior do edifício. O gargalo no corredor e as condições de fogo com crescimento extremamente rápido forçaram os ocupantes do edifício a tentar usar também as janelas como um meio de fuga.

Ao examinar as fontes de ignição de incêndios históricos em outros locais públicos, as formas comuns de ignição apontam para iluminação (a gás, e, mais tarde, elétrica) entrando em contato com materiais combustíveis, ou chama aberta, como se suspeita no incêndio do “Cocoanut Grove”.

No entanto, o fogo na “The Station” resultou de uma forma de ignição que não é vista muitas vezes quando se faz uma comparação com outros incêndios em locais públicos nos EUA: pirotecnia. Já em outros países se tem um longo histórico de incêndios causados por artefatos pirotécnicos, como na Argentina. Onde ocorreu o sinistro na boate “República Cromañón” localizada em Buenos Aires, onde em 30 de dezembro de 2004, um incêndio começou por causa do uso inseguro de artefatos pirotécnicos, neste caso, por parte do público. Cerca de 3.000 pessoas estavam no interior do clube, quando o fogo começou e 194 foram mortas, e 714 ficaram feridas.

Gráfico mostrando a ocorrência de incêndios em casas noturnas pelo mundo causadas por artefatos pirotécnicos, indicando o local e o número de mortos e de feridos, apontando, dentre outros, Santa Maria – Brasil e West Warwick - USA. Este gráfico é a ilustração do artigo boate Kiss é reprise de tragédia em Perm (Rússia)” escrito por Vladimir Erkóvitch para a Gazeta Russa da FSP – 06.03.2013 (notem que as informações estão corretas, apesar de pequeno desvio na impressão do gráfico).

Gráfico mostrando a ocorrência de incêndios em casas noturnas pelo mundo causadas por artefatos pirotécnicos, indicando o local e o número de mortos e de feridos, apontando, dentre outros, Santa Maria – Brasil e West Warwick – USA. Este gráfico é a ilustração do artigo boate Kiss é reprise de tragédia em Perm (Rússia)” escrito por Vladimir Erkóvitch para a Gazeta Russa da FSP – 06.03.2013 (notem que as informações estão corretas, apesar de pequeno desvio na impressão do gráfico).

Vídeo em tela dividida, com tempos sincronizados, com a reconstituição do incêndio feita pelo NIST – National Institute of Standards and Technology (Instituto Nacional de Normas e Tecnologia) para estudar o sinistro, que também mostra o resultado da simulação dinâmica deste incêndio feita por computador. No caso a simulação por computador foi feita por um sistema de FSD – Fire Dynamics Simulator (simulação da dinâmica do fogo) que por sua vez se baseia em um LES Large eddy simulation (ampla simulação de fluxo) que é um modelo matemático de estudo de turbulências usado no estudo computacional de dinâmica dos fluidos. E como se pode ver os resultados obtidos por computador seguem o padrão da experimentação real em modelo escala 1:1

 O sinistro na boate The Station foi causado por faíscas de artefatos pirotécnicos, desencadeados por Daniel Biechele gerente do conjunto Great White – que era a atração principal daquele dia. Ele foi sentenciado a quatro anos de prisão e mais três anos de liberdade condicional.

Os irmãos Jeff e Michael Derderian, donos da boate, mudaram seus apelos de “não culpado” para “sem contestação”. E em setembro de 2006, Michael recebeu quatro anos de prisão e mais três anos de liberdade condicional, sentença igual a de Biechele. Jeff foi condenado a três anos de liberdade condicional e 500 horas de serviço comunitário. Michael recebeu uma sentença mais dura do que Jeff devido a um maior envolvimento na compra e instalação da espuma de poliuretano que era altamente inflamável.

Culpados

Fotos do arquivo do Departamento de Polícia deitas quando eles foram fichados.

Ações foram propostas contra vários outros réus, incluindo a American Foam Corporation – fornecedora da espuma de poliuretano, a Anheuser-Busch Inc. (que havia divulgado o concerto, bem como fornecido a cerveja), a cidade de West Warwick (que havia inspecionado a boate sem ter encontrado um risco de incêndio iminente), e o conjunto musical Great White. Todos estes réus fizeram acordos. A soma total de todos os acordos foi ligeiramente superior a US $ 176 milhões.

Como resultado deste pavoroso sinistro, a “grandfather clause” (cláusula do avô), que isentava edificações construídas antes da lei de implantar as melhorias que uma dada lei definia, foi abolida. No caso específico deste sinistro isto se aplicou ao uso obrigatório de sprinklers e todas as casas noturnas de Rhode Island, independente de sua idade passaram a ser obrigadas a ter sprinklers.

As famílias dos mortos e sobreviventes batalharam por anos para ter o local do sinistro transformado em um memorial permanente. O proprietário do imóvel, Ray Villanova, doou o imóvel formalmente ao “The Station Fire Memorial Foundation “ (Fundação Memorial do Incêndio da Boate The Station”) em 28 de setembro de 2012 para que o memorial possa ser construído.

Para concluir esta matéria apresentamos uma compilação de fotos tirada depois do rescaldo deste pavoroso incêndio.

Este trabalho foi executado a partir de dados da NFPA e pesquisas na internet.

Para completar a matéria incluímos o material de vídeo filmado dentro da boate Kiss, como segue:

Após concluir o inquérito sobre o incêndio na boate Kiss, em Santa Maria (RS), no dia 27 de janeiro de 2013, a Polícia Civil do Rio Grande do Sul divulgou dois vídeos feitos na noite da tragédia. As imagens foram apresentadas nesta sexta-feira (22/03/2013) em entrevista coletiva realizada pelos delegados responsáveis pelo caso, Marcelo Arigony e Sandro Meinerz.

No primeiro vídeo, é possível ver o início do incêndio na boate. Na seqüência, Arigony exibiu outra filmagem, feita de outro local da Kiss. O delegado explicou que passaria as imagens sem o som.

— Vamos poupá-los do som desse outro vídeo porque é realmente muito ruim muito difícil e muito triste.

Na segunda filmagem, Arigony pede que os presentes fiquem atentos ao tempo. De acordo com o filme, em cerca de 30 segundos a boate fica totalmente escura e o “caos está instaurado”. Ainda de acordo com o delegado, em 40 segundos “é o horror”.

Os paralelos entre o caso da boate “The Station” e da boate “Kiss” são lamentavelmente incríveis, apesar dos anos que separam as duas catástrofes, o exemplo de uma de nada ajudou a impedir o acontecimento da outra…

março 7, 2013 at 9:25 pm Deixe um comentário

Incêndio de grandes proporções atingiu indústria de alimentos em São Bernardo do Campo (SP) 20.12.2011

Um incêndio de grandes proporções atingiu um depósito de alimentos da NBF Logística, localizado na altura do nº 1.115 da Rua Líbero Badaró, no bairro Paulicéia, próximo ao Corredor ABD, em São Bernardo do Campo, no limite com Diadema, no Grande ABC. O fogo começou a se espalhar pouco depois de 20h.

O Corpo de Bombeiros foi acionado às 20h16.

 No total, 20 equipes dos bombeiros e pelo menos 70 homens foram enviados ao local. A AES Eletropaulo, empresa responsável pela distribuição da eletricidade no Estado, também foi comunicada, já que o fogo ameaça atingir a fiação elétrica.

As chamas, segundo a corporação, destruíram pelo menos 35% dos cerca de 30.000m² da empresa. A área administrativa e um segundo armazém da empresa não teriam sido atingidos pelo fogo, segundo os bombeiros. Não houve registro de vítimas.

O Incêndio foi controlado pelos bombeiros em operação de rescaldo, o fogo atingiu cerca de 10 mil metros: Cerca de 20 viaturas do Corpo de Bombeiros foram acionadas para tentar controlar o incêndio.

As chamas obrigaram a corporação a pedir dois caminhões-pipa à Prefeitura de São Paulo. Os bombeiros tentavam resfriar a estrutura de uma indústria química, vizinha da transportadora e que armazena cerca de 20 mil litros de solvente, para evitar que o incêndio aumentasse.

A operação de rescaldo começou no início da manhã do dia seguinte. Até às 08h15minh, ainda existiam muitos focos de incêndio mas todos sob controle.  A área foi isolada e a energia foi cortada para facilitar o trabalho. A causa real do incêndio ainda não foi descoberta.

dezembro 21, 2011 at 6:29 pm Deixe um comentário

Incêndio na planta da Magnablend Chemical, Waxahachie, Texas-USA – 03.10.2011

Um incêndio foi deflagrado quando trabalhadores misturavam produtos químicos em uma planta localizada ao sul de Dallas, na cidade de Waxahachie, Texas. Maciços rolos de fumaça preta e brilhantes chamas de cor laranja subiram ao céu na segunda-feira, dia 03.10.2011, forçando estudantes e residentes a evacuar ou de se abrigar no interior das edificações para evitar uma possível exposição a gases perigosos.

Chamas envolveram um grande complexo em uma instalação da Magnablend em Waxahachie. O incêndio, que se alastrou rapidamente, oprimiu um sistema de sprinklers e consumiu um caminhão de bombeiros, mas não houve registro de feridos pelo fogo ou pela fumaça.

O Chefe dos Bombeiros de Waxahachie, David Hudgins, disse que não ficou claro de início quais produtos químicos foram envolvidos na deflagração do incêndio.

Cerca de 1.000 moradores que foram evacuados foram autorizados a voltar para suas casas à noite de segunda-feira, disse a porta-voz Corpo de Bombeiros de Waxahachie, Amy Hollywood. Waxahachie fica a 30 quilômetros ao sul de Dallas, e tem aproximadamente 25.000 habitantes.

O incêndio já estava 95 por cento sob controle na noite de segunda-feira, disse a porta-voz Hollywood.

Em um comunicado, a EPA Agência de Proteção Ambiental dos EUA disse que monitorou a qualidade do ar, tanto no terreno e através de um avião especialmente equipado que fez várias passagens através da nuvem de fumaça causada pelo incêndio e as autoridades não encontraram níveis elevados de produtos químicos tóxicos. A EPA disse que “continuará a realizar o monitoramento do ar ao nível do solo.”

O porta-voz da Magnablend, Donald Golden, disse que 25 a 30 trabalhadores que estavam dentro do armazém 100 mil metros quadrados da fábrica foram evacuados com segurança quando o fogo começou antes de 11h00.  Golden disse que a empresa fabrica cerca de 200 produtos, incluindo alguns que são perigosos quando inflamados. A porta-voz da Comissão de Qualidade Ambiental do Texas, Lisa Wheeler, disse que a Magnablend tem estado em conformidade com as licenças estaduais. Uma busca nos documentos públicos não revelou violações significativas para esta empresa.

Um incêndio foi deflagrado quando trabalhadores misturavam produtos químicos em uma planta localizada ao sul de Dallas. Maciços rolos de fumaça preta e brilhantes chamas de cor laranja subiram ao céu na segunda-feira, dia 03.10.2011, forçando estudantes e residentes a evacuar ou de se abrigar no interior das edificações para evitar uma possível exposição a gases perigosos.

Na foto o caminhão do corpo de bombeiros sendo engolido pelas chamas, instantes depois ele já estava totalmente destruído!

Fonte: Reuters, Huffington Post, demais fontes da imprensa e Internet.

outubro 4, 2011 at 9:11 pm Deixe um comentário

Estoque da Macro Plastics de Fairfield, São Francisco/USA é presa das chamas 26.07.2011

Um incêndio em uma empresa de plásticos enviou fumaça preta a centena de metros de altura na terça-feira, dia 26 de julho de 2011, mas as autoridades disseram que não foram registrados danos a edifícios ou feridos.

O fogo eclodiu cerca das 13h00 em uma área de armazenamento ao ar livre da Macro Plastics Inc. complexo que se localiza perto da Base Aérea de Travis, disse a porta-voz da cidade Gale Spears.
A espessa coluna de fumaça preta escura era visível a quilômetros de distância, e se dirigiu para leste ao sul de Sacramento. Fairfield está no lado leste da área da Baia de São.
Empresas localizadas próximo do sinistro foram evacuadas e os moradores no raio de1,5 Km do incêndio foram orientados a ficar em casa.

A Macro Plastics faz caixas de plástico utilizadas na colheita de uvas e outros produtos agrícolas. Pilhas das caixas vazadas de plástico pode ser visto nas imagens da ABC abaixo:

[vimeo:http://vimeo.com/27255323%5D

O plástico em combustão produziu uma fumaça preta espessa, com hidrocarbonetos e um fogo muito quente, que forma turbilhões de chamas.  O  departamento de saúde do Condado de Solano e especialistas em gerenciamento da qualidade do ar do Distrito da Baia de São Francisco monitoraram o ar, conforme informou a  porta-voz distrital  Kristine Roselius.

O vento foi dispersando a fumaça rapidamente enquanto se movia para o leste. Por quatro horas da manhã, as chamas altas foram apagadas e fumaça negra havia se transformado em fumaça cinza escuro, mas o céu na direção a favor do vento permaneceu escuro enquanto os bombeiros continuavam a trabalhar. A partir da noite, Spears disse que o fogo foi totalmente contido, mas que os bombeiros permaneceram monitorando a cena durante a noite para checar todos os pontos quentes.
“O tempo estava do nosso lado” disse Spears, “as colunas de fumaça podem ter sido terríveis, mas não tivemos os nossos ventos típicos de 40 Km/h”, acrescentou.
Cerca de 60 bombeiros de Fairfield e quatro departamentos próximos, num total de 21 veículos foram usados ​​para combater o incêndio, disse Spears.

Um porta-voz da Base Aérea, o Sargento Técnico Renni Thornton, disse que a instalação militar aconselhou o seu pessoal a evitar atividades desnecessárias ao ar livre. Ele também redirecionou algum tráfego que  deixava a base para evitar a área perto do fogo, mas no restante as operações não foram afetadas.

Abaixo uma coletânea de fotos do sinistros com dois vídeos do início do das chamas, quando os bombeiros ainda não tinham chegado:

[vimeo:http://vimeo.com/27251781%5D

Material de Imprensa e Internet.

agosto 3, 2011 at 8:07 pm Deixe um comentário

Incêndio em empresa de gerenciamento de arquivos em Jandira/SP consome milhões de documentos – 04.07.2011

O incêndio em uma empresa de gerenciamento de arquivos no km 33 da rodovia Castello Branco, no município de Jandira (Grande São Paulo) começou por volta das 16h do dia 4 de julho de 2011, uma segunda-feira. O sinistro durou por vários dias.

Para demonstrar a seriedade do sinistro, na quarta-feira seguinte, 12 veículos e 53 homens do Corpo de Bombeiros de São Paulo ainda atendiam a ocorrência, que não deixou vítimas.  Quando da edição deste post ainda não havia previsão de início do rescaldo – fase necessária para que os peritos iniciem a vistoria que tente identificar as causas do incêndio.

Segundo os bombeiros, a dificuldade de combate aos focos está no fato de haver grande quantidade de materiais combustíveis, em sua maioria papel, no local e também pela superfície e profundidade com que queimam. De um total de 3.000m² de área, pelo menos metade foi consumida pelas chamas.

A empresa atingida, a Interfile, é uma das maiores no país especializada na guarda e gerenciamento de documentos de terceiros. Entre seus clientes há desde grandes empresas a instituições bancárias. Ela iniciou as atividades em 1991.

No vídeo abaixo com fotos da Internet e reportagem do Portal G1 é possível avaliar a extensão do sinistro:

Segundo o Site da Interfile, na página que trata de arquivos é dada a seguinte informação:

QUOTE

O serviço inclui a guarda de mídias, livros, plantas, projetos etc. Cada unidade de arquivo é indexada e recebe manutenção física (ambiente climatizado, equipado com porta corta-fogo, limpeza, controle de pragas e umidade).

UNQUOTE

Considerando a existência de portas corta-fogo é de se imaginar que o ambiente total foi repartido em áreas segregadas divididas por paredes e portas corta-fogo, mas a amplitude e os resultados do sinistro mostram que este sistema não funcionou como esperado.

A proteção de ambientes com documentos empilhados em estantes como mostra a fotografia do Site da Interfile sugere além da compartimentação da área de risco o uso de sprinklers, e no caso, como a altura das estantes é elevada seria usual prever sprinklers intermediários.

Neste caso, para um grau maior de combate a incêndio poderia ser usado um Sistema de Espuma de Alta Expansão (material técnico a respeito: http://www.risco.com.br/NL/MOL/09/Espumas-Alta-Expansao.htm) por sua baixa quantidade de água e rápida ocupação de volume, combinado com sprinklers como proteção de retaguarda, neste caso os sprinlkers são selecionados para uma temperatura maior para dar tempo para a espuma agir, ocupando todo o espaço envolvido.

No caso de documentos de altíssima responsabilidade é aconselhada a construção de uma sala cofre estanque dotada de paredes resistentes às chamas, portas corta-fogo e manter o ambiente protegido por um agente extintor gasoso e inerte que não causaria danos ao material protegido.

A seleção de um ou outro sistema de combate a incêndio em áreas de estocagem de documentos geralmente á definida por um estudo de risco em função da responsabilidade envolvida com a estocagem e a importância dos documentos a serem estocados. Isto define inclusive o projeto estrutural e por sua vez a construção do galpão em si.

julho 6, 2011 at 8:31 pm Deixe um comentário

Posts antigos


novembro 2017
S T Q Q S S D
« ago    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Blog Stats

  • 85,491 hits

Tópicos recentes

Páginas

mais acessados

  • Nenhum